icon facebook icon youtube icon instagram icon twitter

História da Cidade

Publicado em Institucional

Um povo que trabalha

Criado pela Lei Estadual N° 8092, de 28 de fevereiro de 1964, o município de Louveira é conhecido pela sua característica agrícola, tendo como principal produto, a uva. Em relação a sua colonização, a cidade segue a mesma tendência de toda a região e tem o ‘italiano’ como o povo predominante na formação das famílias mais tradicionais. Hoje, entretanto, devido a uma grande miscigenação de nordestinos em bairros mais recentes como o de Santo Antônio, torna a cidade com características totalmente diversificadas.

Origem

A origem do nome do município se deve ao seu primeiro povoador, Gaspar de Oliveira, natural da cidade de Lagronã, na Espanha, que batizou o local onde acamparam, com o nome das árvores que no lugar predominava: Louveira.  Gaspar de Oliveira era casado com dona páscoa costa. Esta, era filha de João da Costa Lima e de dona Ignês Camacho, sendo esta, filha de Domingos Luiz e de dona Ana Camacho. Ignês Camacho, era bisneta de João Ramalho, também chamado de “o patriarca dos mamelucos” e Bartyra, a índia, filha do cacique Tibiriçá, que tempos depois, foi batizada como Isabel Dias. De Gaspar de Oliveira e Páscoa Costa, constam os seguintes filhos: Ignês de Oliveira casada com Custódio Mallio; Maria de Oliveira casada com Manoel Lopes Moura; Ana Maria de Oliveira, casada com João do Prado Leme e João de Oliveira Costa casado com Catharina Dhorta Oliveira.

O casal Gaspar de Oliveira e sua esposa instalou-se no Pouso dos Oliveiras onde os Oliveiras e Leme Do Prado possuíam terras e onde os Bandeirantes Paulistas possivelmente descansavam pelas matas, nas imediações de Jundiaí. Coube a Gaspar de Oliveira plantar as primeiras videiras da região, trazidas de sua plantação na cidade de Jaraguá.

No ano de 1639, Raphael de Oliveira o fundador de Jundiaí, trouxe de São Paulo para Jundiaí, sua filha Ana Maria Ribeiro, então com 10 anos de idade, que mais tarde casou-se com o primeiro vereador da cidade: João Leme do Prado. 

Em 1660, João Leme do Prado estava estabelecido em Capivari, Bairro de Louveira, onde também possuia terras. Em 1661 cedia dote de terras e casava sua filha Helena do Prado com o senhor Manoel Perez Calhamares através de inventário que foi translado no dia 16 de maio de 1665.

Na plêiade soberba dos Bandeirantes Paulistas está incluso o nome de Gaspar De Oliveira, que também participou da Fundação de Jundiaí. Segundo inventário lavrado em Jundiaí, Gaspar De Oliveira faleceu no ano de 1660. Naqueles tempos a Villa de Jundhiay possuía duas outras vilas: Vila de Rocinha e Vila de Louveira.

Em 31 de Março de 1872 era inaugurada a Estação Ferroviária e a Linha Férrea Da Companhia Paulista De Estrada De Ferro, cuja primeira diretoria fôra eleita em 1868.

Em 31 de Outubro de 1908, °a Vila de Rocinha, que, como Louveira, era bairro de Jundiaí, passou à categoria de Distrito, quando o Governador do Estado de São Paulo era o Sr. Dr. Albuquerque Lins.

Louveira pertenceu à Jundiaí por mais de 300 anos, quando em 1948, pela LEI n° 233, Vinhedo- Ex Rocinha, desmembrou-se de Louveira e daí por diante passou a pertencer à Vinhedo, porém como Bairro.

Entretanto, ao realizar-se a primeira eleição no novo Município de Vinhedo, o Bairro de Louveira conseguiu eleger 05 (cinco) vereadores à Câmara Municipal, residentes em Louveira.

Esses vereadores eram: Odilon Leite Ferraz, Dr. Arnaldo Lemos, Walter Mazzali, Dr Gil Celidônio Gomes dos Reis e José Finamore. O Sub-Prefeito de Vinhedo, que administrava Louveira na época, era Ricardo Steck, também residente neste bairro. Em Agosto de 1952 os vereadores residentes em Louveira, juntamente com outras pessoas, organizaram uma reunião preparatória para reivindicar a elevação do Bairro à Distrito, precisamente no dia 24, às nove horas, no Cine Louveirense, de propriedade do senhor Aurélio Niero, para organização e instalação da comissão Executiva.

Entre outros, estiveram presentes os senhores: Dr. Abrahão Aun, Odilon Leite Ferraz, Augusto Pasti,Dr. Arnaldo Lemos, José Finamore, Francisco Bossi, Gilberto Ajjar, Guerino Mário Pescarini, Belmiro Niero, Ângelo Pescarini,José Biaggio, Pasqual Paris, Ângelo Hermínio Niero, Pedro Omizzolo, Aziz Mellin, antoniobernardes, João Elísio de Souza Leal, Reducino Martins Cruz, Maria Ignês Niero, Mário Raphael Chamani, Anchilla Martins Cruz, Antonia Martins Cruz e outros.

Em 1° de Janeiro de 1955, por Lei apresentada à Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, pelo então Deputado Estadual Dr.José Romeiro Pereira, Louveira foi elevada à categoria de Distrito.

O Distrito de Louveira foi criado por Lei Quinquenal em ato realizado às 9h, no salão do Cine Progresso, em Louveira. Este ato foi presidido pelo MM.Juiz de Direito da Comarca, Dr. Valentim Alves da Silva e com o Dr. José Romeiro Pereira, autor da Lei, na época ocupando o cargo de Secretário da Educação. Nesta época ainda Sub-Prefeito de Louveira o senhor Ricardo Steck.

Em 15 de Fevereiro de 1963, houve assembléia pró-emancipação de Louveira presidida pelo pároco local Padre Domingos Herculano Casarin e pelo senhor Odilon Leite Ferraz, com a presença dos Vereadores residentes em Louveira. No 1° dia de dezembro de 1963, o povo, em plebiscito, se manifestou pela elevação de Louveira a município, por 105 votos favoráveis e apenas 32 votos contrários.

Em 7 de Março de 1965 realizaram-se as eleições municipais e os seus primeiros representantes eleitos foram os senhores: Odilon Leite Ferraz para Prefeito e Belmiro Niero para vice.

HINO DE LOUVEIRA

Letra: Clóvis Mazzali
Música: Santo Scarance

 

Louveira, terra da videira
Seu povo é forte, bravo e varonil
No mastro tremula sua bandeira
Contrastando com este lindo céu anil.
Sua gente é humilde, hospitaleira
Seus parreirais mais parecem um jardim
Oh ! Minha Louveira querida
Pedacinho deste meu Brasil.

De mãos dadas, formando uma corrente
De trabalho, união e muito ardor
Enfrentando com bravura destemida
A missão nos dada pelo Senhor.

O seu passado
E de glória e tradição
Mostrando fibra e raça
Em prol de sua Nação

Terra abençoada
Cheia de esperança e amor
Oh ! Minha Louveira querida
Guardo você no coração.


CML LG blackMais informações ligue para (19) 3878.9420
Rua Wagner Luiz Bevilacqua, 35, Bairro Guembê
CEP 13290-000 - Louveira - Estado de São Paulo

Utilidade Pública

CML UP MuseuDigitalPJATUP CML Pref LouveiraUP CML Gov Est SPUP CML Gov Fed BRUP CML Pol Civil SPUP CML Pol Militar SPUP CML Sen Fed BRUP CML STFUP CML TJ SPUP CML Trib Reg FedUP CML Trib Sup EleUtilidade publica Ass Leg SPUP CML Trib Just SP 

                      CML PL AGUACML PL IPTUCML PL MetasCML PL PlanoDiretorCML PL HabitacaoCML PL PlanoMunicipal

Atendimento

Segunda-feira 9h-17h
Terça-feira 9h-17h
Quarta-feira 9h-17h
Quinta-feira 9h-17h
Sexta-feira 9h-17h
Sábado fechado
Domingo fechado

search 2    rssfeed
Informações (19) 3878.9420

Conheça

cml LR4 1Com caráter educativo e informativo, o programa “Conhecendo a Câmara Municipal de Louveira” leva o interessado a conhecer o Poder Legislativo do Município.

Poder Legislativo

Para que se possa entender o funcionamento da Câmara Municipal de Vereadores, é importante o cidadão compreender que o Estado Brasileiro possui três poderes independentes e harmônicos entre si: Judiciário, Executivo e Legislativo, cada um exercendo o seu papel. No âmbito municipal, o Poder Legislativo é a Câmara Municipal de Vereadores. clique aqui e saiba mais...